Menu

joomla responsive menu free
  • Direitos e Deveres na visita aos internos

    Direitos e Deveres na visita aos internos

  • Projeto de pesquisa sobre os trabalhos do CCEP-SE é selecionado para o NAPSEC

    Projeto de pesquisa sobre os trabalhos do CCEP-SE é selecionado para o NAPSEC

  • Injustiça para uns, prejuízo para todos: Quando o uso indevido da prisão provisória gera danos para a sociedade

    Injustiça para uns, prejuízo para todos: Quando o uso indevido da prisão provisória gera danos...

  • Pacto pela Primeira Infância será tema de seminário na região Centro-Oeste

    Pacto pela Primeira Infância será tema de seminário na região Centro-Oeste

  • Mães presas ilegalmente são foco de ações do Justiça Presente

    Mães presas ilegalmente são foco de ações do Justiça Presente

CNJ Serviço: como é calculada a dosimetria das penas?

A condenação de um réu em processo penal exige que o juiz ou o tribunal, no momento do cálculo da punição, observem alguns critérios previstos na lei. O Código de Processo Penal Brasileiro (CPP) estabelece a pena em abstrato, ou seja, um limite mínimo e limite máximo para cada crime.

A fixação da pena ocorre apenas depois da  sentença condenatória. A partir daí, conforme prevê o artigo 68 do CPP, o cálculo da punição deve atender três fases: fixação da pena-base, análise dos atenuantes e agravantes e análise das causas de diminuição ou de aumento da pena.

A primeira etapa é realizada com a análise subjetiva de oito fatores: culpabilidade, antecedentes criminais, conduta social, personalidade do agente, motivos, circunstâncias do crime, consequências e comportamento da vítima. Nesta avaliação, quanto mais circunstâncias desfavoráveis, mais a pena se aproxima do máximo. 

Após a determinação da pena-base, ocorre a segunda fase do cálculo, quando o juiz avalia atenuantes (fatores que reduzem a pena) e agravantes (fatores que aumentam a pena). Entre os atenuantes estão o fato de o réu ter confessado espontaneamente a autoria do crime, senilidade, desconhecimento da lei, entre outros. 

Já entre os agravantes estão fatores como motivo fútil, emprego de veneno, fogo, tortura, crime cometido contra os pais, filhos, irmãos e cônjuges.  A última etapa da fixação da pena se dá com a aplicação das causas de aumento ou de diminuição, que são classificadas como obrigatórias, facultativas, genéricas ou específicas.

Esses fatores incidem sobre o total calculado na segunda fase e podem ultrapassar o limite mínimo ou máximo da pena-base. No caso de haver duas ou mais causas de diminuição ou aumento, a depender da situação concreta, o magistrado poderá aplicar todas ou apenas uma, de forma fundamentada. 

Agência CNJ de Notícias
http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/86358-cnj-servico-como-e-feita-a-dosimetria-das-penas

 

Direitos Humanos

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Visitas ao Site

489953
Hoje
Ontem
Esta Semana
Semana Passada
Este Mês
Mês Passado
Total de Acessos
787
809
8160
474190
14311
17630
489953

Your IP: 18.215.161.19

Palavras do Presidente

CCEP - SAÚDE MENTAL

Sistemas Penais

 

 

 

Rua Central 03, 200 CEP: 49042-230 - Bairro: Orlando Dantas - Telefones: (79) 3023-4434 | 99688-8074 - Aracaju - Sergipe.